Publicidade

Os produtos e  serviços oferecidos em nosso portal são de exclusiva responsabilidade de seus respectivos proprietários

Produtos e serviços em Joinville

Agências de Turismo
Hotéis
Locadoras de Veículos
Turismo Rural
Dicas de Viagem
Home
Alfândega
Bagagem
Direitos do Viajante
Documentos
Metrôs no Mundo
Trens
Vacinas
Serviços
Agências de Turismo
Cadastre sua Empresa
Castelos
Cruzeiros
Hospedagem de Sites
Hotéis
Hotéis Fazenda
Lazer p/crianças
Locadoras de Veículos
Mergulho
Pacotes Internacionais
Pacotes Nacionais Aéreos
Pacotes Nacionais Rodoviários
Paradores de Turismo
Parques Temáticos
Pescaria
Publicidade
Resorts
Serviço de Traslado
Ski/Snowboarding
Thermas
 

 

 

 

 

 

Joinville (SC)

Conhecida como a cidades das flores, JOINVILLE não é apenas a maior cidade do Estado, mas também uma das mais bonitas. Suas belezas naturais são inúmeras. É uma cidade que vale a pena conhecer.

   Com forte influência germânica devido a colonização e, é palco de muitas festas durante o ano, como a Fenachopp, a segunda maior festa de origem alemã do país, realizada no mês de outubro e a Festa das Flores, que em novembro embeleza a cidade inteira e deixando um aroma inesquecível.

A cidade é também conhecida como a Capital da Dança, sendo sede da única escola de dança do Balé Bolshoi fora da Rússia. Ao visitar Joinville não deixe de saborear os doces e chocolates caseiros.

    Pode-se dizer que a história do município de Joinville tem início com o enlace matrimonial da princesa Francisca Carolina, irmã do Imperador Pedro II, e o príncipe francês François Philippe de Joinville, nos idos de maio de 1843. Ao príncipe francês, como parte do dote nupcial, foi conferida uma vasta extensão terras no nordeste da Província de Santa Catarina que viria a constituir a atual cidade das Flores.

    Devido às agitações políticas e manifestações sociais que, em meados do século XIX, pululavam no continente europeu comprometendo a estabilidade e, em alguns casos, até mesmo a existência de determinados regimes, o rei da França Louis Philippe, pai do príncipe do Joinville, decide abdicar do trono. Tal atitude acaba por engendrar dificuldades de ordem financeira para a família real. Sendo assim, o príncipe de Joinville, que até então não havia tomado posse das terras catarinenses, acha por bem arrendá-las à Sociedade Hamburguesa de Colonização, cuja finalidade seria o assentamento de imigrantes europeus na região. 

    No ano de 1851, nos idos do dia 9 de março, a embarcação Cólon aporta no Rio Cachoeira. Com ela chegam 118 alemães e suíços e mais um grupo de 74 noruegueses. Desse modo, funda-se a Colônia Dona Francisca, que, em 1852, passaria a se chamar Joinville, em homenagem ao príncipe francês. 

    Em 1870, na expectativa de receber o casal real na cidade, foi construído o "Palácio dos Príncipes" que, infelizmente, nunca chegou a ser ocupado por seus verdadeiros inspiradores. Outra autoridade, entretanto, veio a desfrutar do conforto do casarão colonial, o procurador da Coroa, Frederico Brüstlein. Hoje em dia, a célebre Rua das Palmeiras é reminiscência da Alameda Brüstlein, onde, em frente ao Palácio, foram plantadas duas fileiras de referidas árvores em homenagem ao antigo procurador. Posteriormente, o sobrado foi transformado no Museu Nacional de Imigração e Colonização, local onde se encontra catalogado muito estimado acervo de peças sobre a colonização e desenvolvimento da cidade.

    Caso você esteja interessado na história escrita de Joinville, o Arquivo Histórico Municipal é o lugar mais indicado. Lá poderá ser encontrada, por exemplo, a coleção completa do "Kolonnie Zeitung" (Jornal de Colônia), que circulou durante oito décadas em meio à comunidade joinvillense.

Atrações turísticas:

Turismo Rural


Alameda Brustlein
Casa da Cultura
Casa Fritz Alt
Castelo dos Bugres
Catedral Diocesana
Mirante
Museu Arqueológico de Sambaquí
Museu de Arte
Museu da Bicicleta
Parque Expoville
Parque Zoobotânico

 

© abcdoturismo.com.br - Todos os direitos reservados